Pesquisar este blog

Leia o mega olimpo em:

sábado, 7 de maio de 2011

Percy Jackson e os Olimpianos.




O megaolimpo, vem trazendo informações sobre a cultura grega, para todos que quiserem acessá-lo.
Aqui, nós deixamos uma dica, de uma boa leitura, a saga escrita por Rick Riordan, Percy Jackson e os Olimpianos.

A história acontece com Percy Jackson, um semideus, vivendo aventuras em pleno século XXI, filho de um poderoso deus, sofre pelos mesmos motivos que os grandes Hércules, Perseu, Belerofonte e outros mais heróis sofreram.

O livros são:

Percy Jackson e os Ladrão de raios.
Percy Jackson e o mar de monstros.
Percy jackson e a Maldição do titã.
Percy Jackson e a Batalha do labirinto.
Percy Jackson e o último olimpiano.

Calypso, destinada a ficar sozinha.


Calypso, em alguns casos apresentada como sendo filha de Oceano e Tétis, sendo assim uma oceânida, mas, como mais frequência, anunciada como sendo filha de Atlas, com uma deusa qualquer, vive numa ilha isolada , é apresentada na odisséia, como anfitriã de Odisseu (Ulisses), tendo com este três filhos: Nausítoo e Nausínoo e Latino.
Zeus ordena que ela deixe Odisseu partir, assim, ela fica sozinha na ilha.
O motivo dela ficar prisioneira naquela ilha, é de que ea pe filha de um titã, sendo assim, considerada uma ameaça pelos deuses.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Polifemo, o preferido de Posseidon.


Polifemo era um ciclope, filho de Posseidon e uma ninfa do mar (Náiade), era o Ciclope preferido de seu pai Posseidon.

Sua vida é drasticamente interrompida quando Odisseu (Ulisses) e seus homens atracam seu navio na terra dos ciclopes, procurando comida durante a viagem de Tróia de volta para casa. Odisseu e os seus companheiros entraram na caverna de Polifermo procurando comida e bebida, não sabendo que se tratava do local onde o ciclope dormia e guardava as suas `` adoradas´´ ovelhas.

Quando Polifemo volta para a caverna, fecha a caverna com uma rocha enorme, deixando presos os marinheirps.

Incrédulo com figura do gigante de um olho só no meio da testa eles optam por revelar dua presença.

O ciclope agarra dois homens e os devora sem nem pestanejar.

Então Polifemo bloqueia a porta, e continua a se banquetear com os guerreiros de Odisseu.

Odisseu então arranja um plano para que todos escapem e oferece vinho a Polifemo, que pergunta quem lhe oferece a bebida, Odisseu responde: "foi Ninguém".

Quando Polifemo adormece devido à bebida, Odisseu e seus homens afiam uma vara e a espetam no olho do cíclope, cegando-o.

No dia seguinte, Polifemo abre a caverna para deixar sair as ovelhas, verificando com o tato se são realmente ovelhas ou os prisioneiros.

Porém estes escondem-se, segurando-se por baixo das ovelhas, conseguindo escapar.

Polifemo, ao aperceber-se da fuga, grita: "Ninguém me cegou!" aos seus companheiros ciclopes, estes não entendem nada.

Já em seu navio Odisseu zomba de Polifemo e revela seu nome (grita que não tinha sido "Ninguém" a feri-lo, mas sim Odisseu). Polifemo, furioso, atira grandes rochas ao acaso para o mar, que quase atingem a embarcação.

O cíclope pede a seu pai Posseidon que se vingue de Odisseu, amaldiçoando os gregos. Posseidon atende, atormentando Odisseu durante o resto da viagem, fazendo-o vagar ilha atras de ilha.

quinta-feira, 31 de março de 2011

Atlas, por quê segurava os céus?


Atlas era um titã, durante a guerra entre os Titãs e os deuses, ajudou Cronnos, quando este perdeu a guerra, os deuses pensaram em ``cadeias´´ para os Titãs, e seres que os ajudaram.
Atlas, ficou com a ´´punição/cadeia´´ de segurar Urano (céu), para que este não se encontrasse com Gaia (terra), assim, Atlas teve de segurar o céu, assim, este ficou sempre preso a seu lugar (monte Otris).
O herói Heracles (Hércules, filho de Zeus e Alcmena), em passagem pelo local, foi requerido pelo titã para que segurasse o céu para ele poder visitar o jardim das Hispériedes (suas filhas), e poder pegar um pomo de ouro.
Héracles, ingênuo, segurou o peso todo do céu.
Atlas foi, e visitou suas filhas, voltando, ele passou e riu do Herói:
-Pequeno, acreditou mesmo que eu voltaria a minha prisão?
Héracles ficou muito irritado, mas usou a cabeça, resolveu enrolar o Titã:
-Pois bém você me enganou, poderia pelo menos segurar aqui só para mim arrumar-me em outra posição?
O Titã, não vendo impecílio resolveu atender o pedido.
-Pois, dê-me aqui, eu seguro para você.
Héracles, deu-lhe o céu, e seguiu para o seu destino.
-Ei, pegue aqui!- Disse o Titã.
-Talvez na próxima.

Este pequeno conto, mostra-nos a natureza de Atlas.

Curiosidade...

Como poderiam os deuses prever o futuro?
O futuro não aconteceu ainda!
Para os gregos, o futuro já aconteceu sim!
Para os gregos, o tempo tem 3.600 anos, e quando este tempo acaba, tudo recomeça.
Os mortais, morrem, depois de 3.600anos nascem novamente, ou seja, você sempre continua neste círculo.... a menos que você seja imortal.
Deuses, deuses menores, todos sempre vivem estes 3.600 anos,e quando tudo recomeça, eles apenas se lembram, e contam para os humano.
Os isentos desse sistema são os monstros, visto que eles não podem se lembrar de nada, pois sempre que são destruídos partem para o tártaro.

quarta-feira, 30 de março de 2011

ícaro, a personificação do sonho de voar!



D
édalo era um grandiosos inventor, que servia de tutor para seu sobrinho Talo.
Talo, um dia, passeando pelo litoral, se admirou pela espinha de uma peixe, pois esta tinha um formato quase perfeito, forma na qual ele viria a inspirar-se para criar a primeira serra.
Com muita inveja, Dédalo tentou matar este seu sobrinho, atirando-o de um penhasco alto.
Contudo, os deuses se apiedaram do jovem e o transformaram numa perdiz, que voou para evitar a desgraça que lhe acorreria.
Culpado de homicídio, Dédalo foi obrigado a abandonar a cidade natal, refugiando-se em Creta, a ilha do famoso rei Minos.
Ali, foi incumbido de construir um labirinto, para abrigar o famoso Minotauro.
Dedalo seria, mais tarde, impedido de deixar esta ilha, tempo no qual concebeu a sua mais famosa invenção, um par de asas que, lhe permitiriam voar.
Pretendia, juntamente com o filho Ícaro, usá-las para escapar da ilha.
Já pronta as asas feitas com penas de bronze e cera, os dois começaram a viajar.
Eles estavam no ar tempo suficiente para que Dédalo ensinasse a seu filho, como deveria pilotar as asas.
Uma das mais importantes recomendações, foi que não viajasse perto do sol, para que a cera não derretesse e soltassem-se as penas.
No entanto, as coisas não iriam correr bem para o pequeno Ícaro. Ignorando os conselhos de Dédalo, voou demasiado alto, o que fez com que a cera que prendia as asas derretesse, precipitando-o no mar.
Dedalo, quando viu o corpo do pequeno Ícaro a flutuar no imenso reino de Posseídon, lamentou-se e chorou penosamente, mas nada mais poderia ser feito, pois o pequeno Ícaro se fora.
Dedalo então desceu e passou a residir em terra firme, sem nunca mais voltar a usar sua invenção penosa.

domingo, 13 de março de 2011

Édipo, Rei.


Laio, rei da cidade de Tebas e casado com Jocasta, foi advertido pelo oráculo de que não poderia gerar filhos e, se esse mandamento fosse desobedecido, o mesmo seria morto pelo próprio filho, que se casaria com a mãe.

O rei de Tebas, cuja esposa, Jocasta, já estava grávida, resolveu esperar pelo nascimento da criança se fosse uma menina, ele deixaria viver, caso contrario, se livraria da criança.

Nasceu, pois, um menino, cujo pai furou os pés, e se prostrou para jogá-lo de uma montanha, a ferida que ficou no pé do menino é que deu origem ao no me Édipo, que significa pés inchados.

Não teve coragem de tal malévolo ato, entregou-o a um pastor, que o levou a Polibo, o rei de Corinto, este o criou como filho legítimo. Quando ficou sabendo que era filho adotivo, Édipo foi até o oráculo de Delfos para saber o seu destino. O oráculo disse que o seu destino era matar o pai e se casar com a mãe. Espantado, ele deixou Corinto e foi em direção a Tebas. No meio do caminho, encontrou com Laio que o deu uma chibatada por ficar no caminho da carruagem real. Édipo ficou furioso com o rei, lutou com ele até matá-lo.

Alheio ao fato de que havia matado seu pai, ele seguiu a Tebas, e lá ficou sabendo que a cidade estava em caos, o rei da cidade havia sido morto, e um monstro maligno estava a matar os pacatos habitantes de Tebas. O monstro se tratava da Esfínge, um misto de mulher e leão, que fazia um enigma para cada cidadão, e se não acertasse este era devorado, Édipo confiante foi ao topo do monte que tal criatura habitava, o mostro fez lhe o enigma:

-Qual é o animal que: de dia anda com quatro patas, pela tarde com duas, e de noite, três patas eram usadas. -É o homem- Respondeu Édipo- quando bebê, engatinha, quando homem anda bípede, e quando velho, ultiliza-se de uma bengala para se apoiar. -COMO? COMO VOCÊ SABIA?- E tendo sido descoberta, esta se pulou do monte, morrendo instantaneamente.

O povo de Tebas saudou Édipo como seu novo rei, e entregou-lhe Jocasta como esposa. Depois disso, uma violenta peste atingiu a cidade e Édipo foi consultar o oráculo, que respondeu que a peste não teria fim enquanto o assassino de Laio não fosse castigado.

Ele voltou então para Tebas e decretou: que os Deuses punam o assassino, façam-o vagar, cego e sem ninguem para o abrigar!

Os Deuses então fizeram com que Édipo soubesse da verdade. Fizeram Édipo instaurar uma investigação, para descobrir o assassino.

Ao longo das investigações, a verdade foi esclarecida e Édipo cegou-se com os botôs de sua toga, e Jocasta se jogou do alto do Templo.


sábado, 12 de março de 2011

Homero e seus hinos.



Nos Hinos Homéricos, estão presentes a maioria dos contos mitologicos da bela Hélade.
Acima: Homero, e abaixo o livro ``Hinos Homéricos´´.

Sátiros, divindades menores da natureza.

Tem aspectos de uma metamorfose entre bodes e humanos: Pernas de bodes, chifres na testa, e orelhas de burros ou asnos. Mantinham relações com ninfas dos bosques onde moravam, não havendo fêmeas sátiras, prevalecia o macho, visto que , a prole de uma ninfa e um sátiro sempre será um sátiro. Eles servem na corte de Dionísio, e assim como os centauros tem grande apego pelo vinho, mas, eles sabem se comportar.


Centauros, filhos de Filira e Cronnos.

Estes, são fortes, mas são bondosos, sempre aliados a boa vontade. Dentre estes se destaca Quíron, um grande amigo de Hercules, este era civilizado, usava um arco, e era mestre na medicina.
Quíron, contribui para a ideia errônea de que os centauros eram mestres em arco e flecha, na verdade os centauros usavam clavas, massas, e galhos de árvores como armas. Na imagem Quíron e Heracles.

Centauros, filhos de Íxion e Nefele.

Estes, tinham força, mas eram brutos, insensatos e cegos, sempre aliados ao vinho, perdiam a cabeça quando o assunto era o produto de Dionísio.
Um episódio na história do heróis Heracles (Hercules), representa bem esse lado dos centauros, este episódio será relatado mais a frente, mas, a luta ocorre pois os centauros, ao sentir o cheiro do vinho, vieram de todas as direções, ocorreu então uma grande briga entre o Herói e os centuros, que terminou por Hercules matar todos os centauros.




sexta-feira, 11 de março de 2011

Deuses menores.

Típhon: Filho de Gaia e Tártaros, deus da seca.

Tânatos: (Na imagem, com seu irmão gêmeo Hipnos). Filho de Nix, personificação da morte.

Sêmele: Deusa mãe de Dionísio.

Selene: Deusa Lua.

Pã: Filho de Hermes. Deus dos bosques.

Morfeu: Filho de Hipno, deus dos sonhos.

Métis: Deusa da prudência.

Maya: Deusa mãe de Hermes.

Leto: Mãe de Ártemis e Apollo.

Íris: Deusa do arco-íris.

Hipnos: (Na imagem seu irmão Tânatos, a personificação da morte). É o deus do sono.

Hélios: A personificação do sol.

Hecate: Deusa da magia e bruxaria.

Hebe: Filha legitima de Zeus e Hera, deusa da juventude.

Fobos: Personificação do temor.

Eurínome: Criadora do universo.

Esculápio: Deus da medicina.

Éris: A filha de Nix, é a deusa da discórdia.


Éos: Deusa do amanhecer.

Deimos: Personificação do terror

Circe: Deusa da feitiçaria

Anfitrite: Deusa dos mares e esposa de Poseidon.

Aristeu: Deus pastor, criador da apicultura e plantio de oliveiras.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Conheça os deuses... Hera e Atena.

Atena: Deusa da estratégia na batalha, filha de Zeus. Seu nascimento se deu do pensamento de Zeus, sendo assim, esta não tem mãe.

Mulher de Zeus, rainha do olimpo, mãe de Ares e Hefesto (Hebe, excluída aqui, não faz parte do conselho dos deuses), sempre enciumada, tenta se livrar das mulheres, com quem Zeus tem relações, deusa do casamento, representante da familia.

Conheça os deuses... Os filhos de Zeus e outras.

Ártemis: Deusa da caça, protetora da lua, irmã gêmea de Apollo, filha de Zeus e Leto, ótima arqueira, assim como o seu irmão.

Dionísio: Deus dos vinhos, inventor de uma das maiores artes gregas: o teatro. É sempre visto como patrono da tragédia.

Hermes: Deus dos ladrões e mercadores, reza a lenda, que no seu primeiro dia de vida, ele roubou: O tridente de Posseidon, o cinto de Afrodite e as vacas sagradas de Apollo.

Perséfone: Deusa das flores, filha de Zeus e Demeter, se casou forçada, com Hades, sempre representada com repulsa ao seu marido (Imagem).



Apollo: Protetor do sol, e da luz, muitas vezes sendo descrito como detentor da luz da verdade. Irmão gêmeo de Ártemis, filho de Zeus e Leto.



Conheça os deuses... Os filhos de Zeus e Hera.*

Hefesto: Deus das forjas e dos metais, filho de Zeus, foi jogado por este do topo do monte olimpo, por isto tem deformações, Zeus o jogou, pois não gostava de sua aparência.


Ares: Deus da guerra, filho de Zeus, não é querido por seu pai, nem por sua mãe (Hera), mas muito apreciado por seu tio Hades, pois as guerras que Ares causava, aumentava o número de mortos. Tinha um caso com Afrodite, mulher de Hefesto, seu irmão.
*Os filhos de Hera e Zeus aqui citados, excluem Hebe, visto que esta era uma ``deusa menor´´, não tendo trono no Olimpo.



Conheça os deuses... Os três grandes, os irmãos: Hades, Zeus e Posseidon.

Hades: Senhor dos mortos, deus do sub-mundo, Irmão de Zeus, tinha uma grande inimizade para com os outros deuses, marido de Perséfone, enganava a mãe dela, com as estações do ano.

Zeus: Senhor do olimpo, rei dos deuses, Senhor das tempestades, portador do raio-mestre, assumiu o trono cortando seu pai, o titã Cronnos, em pedaço e jogando-o no tártaro. quando feliz, mantinha calmo o céu, quando furioso, causava tempestades gigantescas. Marido de Hera, teve muitos filhos deuses.

Posseidon: Senhor dos oceanos, deus dos terremostos, quando feliz deixava o mar pacífico para a navegação, quando furioso, causava grandes terremotos e ressacas gigantescas.
Irmão de Zeus e de Hades.